E de repente acordamos um dia e tudo mudou. Na Disney a magia se extinguiu, as muralhas da China não eram tão fortes? Agora Nova York dorme, e nenhuma estrada quer levar a Roma. Um vírus é coroado como proprietário do mundo e percebemos nossa fragilidade. Não sabemos se o dano é intencional ou irresponsável de nós mesmos, mas a ameaça existe e cada vez mais forte. Os memes não causam tantos risos.

Abraços e beijos se tornaram armas perigosas e a escassez de produtos nos mostra mais uma vez como somos egoístas, tão egoístas que dizemos “não há problema, esse vírus só leva os idosos” como se não tivéssemos nossos pais ou como se nunca chegássemos lá.

Queremos reivindicar nossos “direitos” para decidir se deixamos ou não outra pessoa viver e agora percebemos que não podemos nem decidir por nossas vidas. Um planeta que hoje coloca uma máscara, não apenas para um vírus, mas para cobrir nossa vulnerabilidade, misturado com orgulho e lava as mãos para não reconhecer nossa responsabilidade como um pilatos.

Sim, existe medo. Sim, existe isolamento. Sim, existem compras de pânico. Sim, existe doença.
Sim, até a morte.
Mas eles dizem que em Wuhan, após tantos anos de barulho, você pode ouvir os pássaros novamente.

Dizem que, após algumas semanas de silêncio, o céu não está mais cheio de fumaça, mas azul, cinza e claro.
Dizem que nas ruas vazias de Assis (Itália) as pessoas estão cantando de suas casas e varandas, mantendo as janelas abertas para que aqueles que estão sozinhos possam ouvir as vozes das famílias ao seu redor.
Eles dizem que um hotel no oeste da Irlanda oferece refeições gratuitas e entregas em domicílio.

Hoje, uma jovem que eu conheço está ocupada distribuindo panfletos com o número de telefone dela na vizinhança, para que os idosos possam ter alguém para ligar.
Hoje igrejas, sinagogas, mesquitas e templos estão se preparando para receber e proteger os sem-tetos, doentes e cansados.

Em todo o mundo, as pessoas estão desacelerando e refletindo.
Em todo o mundo, as pessoas olham para os vizinhos de uma nova maneira.
Em todo o mundo, as pessoas estão acordando para uma nova realidade. Quão grande realmente somos. Quão pouco controle realmente temos. Para o que realmente importa … AMOR.

Então oramos e lembramos que
Sim, há medo … mas não deve haver ódio.
Sim, há isolamento … mas não precisa haver solidão.
Sim, existem compras de pânico … mas não precisa haver egoísmo.
Sim, há doenças … mas não deve haver doenças da alma.
Sim, existe até a morte … mas sempre pode haver um renascimento do amor.

Acorde escolhendo como viver hoje.
Hoje respire, faça uma pausa e ouça por trás dos tormentos do seu medo.

Os pássaros cantam novamente, o céu está clareando, a primavera está chegando e estamos sempre cercados de amor.
Abra as janelas da sua alma e mesmo que você não consiga pisar na rua vazia … Cante. 

Richard Hendrick, OFM
13 de março de 2020